Domingo, 31 de Maio de 2009

O Gume Responde À Dúvida de Uma Leitora: Para Onde Vão As Lembranças Quando São Esquecidas?

Golpe por Miguel João Ferreira às 21:05
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Sábado, 30 de Maio de 2009

Carolina

Carolina queria ser crescida,

e pintava os lábios;
Cresceu mas sentiu saudades

e vestiu um bibe;
De bibe, ansiou dormir

e fechou os olhos;
Dormindo, teve de sonhar

e pensou num príncipe;
Princesa, precisou de mais

e casou com ele;
Casada quis a completude

e pediu um filho;
Já mãe, desejou sossego,

teve uma criada;
Com tanto achou que era pouco

e sonhou ser rica;
Já rica nunca lhe chegou,

e quis aventura;
No mato, logo se assustou

e exigiu um guarda;
Guardada, tudo receou

e largou um grito;
Gritando, por fim acordou

e buscou alguém;
Mas como não fez, sonhou,

não tinha ninguém;
Sozinha, chorou, chamou

pela sua mãe;

Carolina está bem apenas

com o que não tem.

(PS: A imagem é um quadro a pastel de Carrie Gollar)

Que Farei Com Estes Gumes?: ,
Golpe por Miguel João Ferreira às 18:32
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

Ceci N'est Pas Magritte: Surrealismos

- Ceci n'est pas une pipe, mon chèr, c'est un tableau! - E, para o comprovar, René bateu várias vezes com um cachimbo na tela.
- Ao mesmo tempo, - disse Mariën, - "cachimbo" é um conjunto de sons para ilustrar o cachimbo, mas podia chamar-se canguru, porque a língua, na sua origem, é arbitrária! - e bateu com a mãozita na lapela, satisfeito por ter falado tão bem.
- C'est vrai, - continuou Éluard, - e eu posso fumar outras coisas que não são cachimbos... - o argumento era dúbio quanto à sua sinceridade.
- Oui, - confirmou Nougé, - cocaína, por exemplo. Mas os senhores estão a ignorar o problema fulcral: se a tela de Magritte é mera representação, e o cachimbo que se vê não é coisa nenhuma (ou pelo menos um cachimbo), cada um dos senhores resulta num holograma! Regredimos, portanto, ideologicamente, para dar razão a Platão, que é um sujeito que me desagrada! Eu pensava que a revolução francesa nos tiha livrado da caverna do platonismo! É com tristeza que me acho enganado...

Magritte, resmungando, concordou com um aceno, e atirou pela janela o quadro:
-Lixo!, - gritou, - lixo!
Por azar, a tela foi aterrar (intacta!) nas mãos de um crítico de arte.
O resto é História...
Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 22:28
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Quinta-feira, 28 de Maio de 2009

Disillusionment Plot - Terêncio Reformulado






Homo sum: Humani nihil a me alienum puto...
Áparte a Humanidade...

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 21:54
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

Livro Branco

Acabei de ler este livro: (...) Depois de o completar, fiz-me completo. Não tem editora, não tem ISBN, não tem preço, não tem código de barras, não está à venda. Dá-se quando eu me dou e retorno a mim. Escrevo-o de dentro para fora e de fora para dentro (porque nada tem apenas um sentido ou vem de uma só coisa) e guardei-o de novo nesse bolso largo que está naquele ponto do meu corpo que não podem cobrir casacos e calças.

(O que criei de mim, foi o que li).

Que Farei Com Estes Gumes?: ,
Golpe por Miguel João Ferreira às 10:34
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo

Brighella, A Quanto Obrigas!

Brighella é dono de uma taberna e bebe mais do que vende. Muitas vezes falei com ele e perdi. Não sei de ninguém que use tanto a palavra como quem usa um punhal. Quando Macbeth perguntou: "is this a dagger I see before me?", não pensava em delírios mas na violência do síndroma de Brighella, isto é, dos verbos e substantivos que lhe cruzavam a mente com ideias roídas de desejo e de culpa. Brighella, porém, não sente culpa; porque Brighella não é um carácter trágico; e não é trágico porque não tem consciência. Inspirador do Figaro de Beaumarchais (que depois inspirou Rossini e Mozart), Brighella é o protótipo medieval/renascentista de Dean Moriarty, o con artist de On the Road de Kerouac. Enganar é uma arte. O Egoísmo uma necessidade moral, movida pelo instinto da boa sobrevivência - que não é o mesmo que mera sobrevivência. Como um camaleão social, Brighella transmuta-se em qualquer coisa e é capaz de reproduzir qualquer sentimento, não apenas para que não o cacem (ou para caçar), mas para dos seus actos retirar um proveito que, indo além da mera perspectiva de um ganho, represente, efectivamente, um grosso lucro. É pai de todos os truques (que terá aprendido com o Diabo) e filho da Sociedade (que o gerou de si mesma). Romântico, reinventa o romantismo, deixando-lhe, como Sade, o perfume insaciável da luxúria. Ser romântico será assim, na óptica deste ser ardiloso, rasgar as roupas da mulher que deseja e, sem cerimónias, morder-lhe vorazmente a carne.
Também ele sabe dividir para reinar; de acordo com alguns, mais informados, foi este personagem diabólico que inventou a expressão idiomática. O método é o da briga, claro está, daí o seu nome. Planta o mal, deixa-o crescer, mata alguém, culpa um outro, e leva, no fim da luta, os pertences dos contendores.
Brighella é o anti-herói perfeito, que faz rir quem nele se retrata. Num momento ou noutro todos o imitámos; mas, como é obvio, estavamos sempre a brincar. Nunca, tal e qual as crianças, cometemos maldades a sério. Por isso mesmo Brighella é uma máscara...
Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 10:30
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Terça-feira, 26 de Maio de 2009

O Leitor Conquistador (Uma Aventura)

Casanova lia um livro tal e qual como despia uma mulher; pegava no canto de uma página como se fosse uma mão que devesse beijar. Olhava para as linhas delicadas que a compunham, como se as visse pela primeira vez, que seria também a última, como se nelas pudesse ver o destino e se concentrassem todas as suas forças e esperanças; como se ali, naquele momento único, achasse todo o prazer por gozar.
Depois mergulhava no seu conteúdo com a sinceridade do amor adolescente, que dá a alma por uma descoberta; e a cada página repetia o exercício, numa nova conquista. Casanova lia e amava e lendo e amando mentia, com renovadas promessas. Mas a sua infidelidade, por tão intensamente profunda, resultava afinal como sincera.

(Casanova, contra si mesmo, era um burlão honesto...)

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 11:30
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo

Da Importância da Máscara - Scaramouche

Scaramouche envolve-se na luta apenas para cheirá-la. Depois foge, como convém ao herói humanista. Na verdade fôra à guerra apenas para ver se alguma donzela pedia para ser salva. Precisando, salvava-a como sabia: um lance de guitarra, uma cantiga amorosa, uma promessa de beijo à luz da vela convenientemente acendida...
Porque de acordo com esse comediante da vida, lutar não era mais do que provar o momento; e salvar uma mulher que se achasse em perigo, seria libertá-la da prisão do tédio para se aventurar noutras cantigas, mesmo que passageiras.
Scaramouche era então um conquistador singular que usava da manha em vez da espada.
E, se havia feridos, culpava o Destino (que nos afecta a todos, dizem os fatalistas) e, claro está, os outros: afinal, não estavam todos eles na confusão da guerra?
Daí que, tantas vezes, vingar numa empresa delicada peça primeiro que se gere... a escaramuça...

...........

(Scaramouche escondia-se na confusão de si próprio. Essa era a sua máscara...)
Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 11:27
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Segunda-feira, 25 de Maio de 2009

Persona In Persona Per Persona

Em 1965 Ingmar Bergman contraiu labirintite, uma desordem do equilíbrio, subsequente de um processo inflamatório que afecta os labirintos onde se abriga o sistema vestibular, no ouvido interno. Um dos sintomas desta doença é um constante estado de vertigem, mesmo durante o sono.

Durante várias semanas, Bergman esteve acamado, com a cabeça presa por um aparelho, fixando um ponto no tecto que o seu médico aí pintara, num esforço, por vezes inglório, de afastar a tontura e a vertigem. Concentrando-se naquele ponto, começou por imaginar duas forças interligadas.
Dias mais tarde, já em convalescença, viu, pela janela, uma enfermeira e um paciente que comparavam as suas mãos.
Essas experiências visuais (de duas ordens, interior e exterior, respectivamente), resultantes de uma otite interna, culminaram um ano depois, 1966, numa obra prima do cinema mundial: Persona.

Esta história, contada por Robert Mckee no seu livro Story, e a história de Alma/Elisabeth Vogler (curiosamente actriz que curiosamente representa Electra - a dupla coincidência é prova de que o nao é), é, porfim, o resumo da nossa história e da complexidade humana.

Se do ponto de vista psicanalítico (Adams Sitney) o filme é a dramatizaçao da psicanálise do ponto de vista do paciente (como talvez La Coscienza di Zeno de Italo Svevo), do ponto de vista meramente analítico ele representará, num sentido mais lato (Susan Sontag), a violência do espírito. A mesma violência que encontramos n'O Duplo de Dostoievsky, no Mr. Hyde de Stevenson, no Dorian Gray de Wilde, nos heterónimos de Pessoa ou, simplesmente no espelho; isto é, nesse complexo conjunto de entidades possíveis a que chamamos pessoa e que guardamos dentro de nós próprios. Como podemos, porém, nao como queremos.

E no fundo, também este blog, será, como o quotidiano, uma súmula de marcas da nossa existência; aqui, talvez, numa perspectiva mais poética. Talvez.
Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 12:41
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Domingo, 24 de Maio de 2009

Imagem (Rara) do Escritor Moderno

Desde que vi isto (que fotografei) convenci-me de que tudo era possível. Este tipo, ganhou o Pullitzer, vejam bem! (E nem é dos piores...)

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 14:17
Hipertensões | Estocadas | Abrir As Feridas (2) | Os Golpes Que Eu Amo
Sábado, 23 de Maio de 2009

Dúvida Metódica

Se o dia tem 24 horas,

quantas tem a noite?

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 22:47
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Sexta-feira, 22 de Maio de 2009

O Jantar dos Gestores

O PRESIDENTE DA NACIONAL COMUNICAÇÕES: Qualquer instituição...

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: Ou Associação...

O PRESIDENTE DA NACIONAL COMUNICAÇÕES: ... Ou Associação, é como uma empresa -

O PRESIDENTE DO CLUBE DE FUTEBOL: Vive dos seus sucessos!

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: E como tal...

O SINDICALISTA: Dos seus lucros! Nós sindicalistas temos perfeita noção dessa realidade. Por isso organizamos manifestações para angariação de fundos.

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: A medida...

O PRESIDENTE DA NACIONAL COMUNICAÇÕES: ... É subtil e visionária!

O PRIMEIRO-MINISRTO: Sem dúvida! Por isso mesmo, apesar de maus para a minha imagem, ainda não proibi os Sindicatos.

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: O problema...

O PRESIDENTE DO CLUBE DE FUTEBOL: ...Como eu sempre digo, é na borrasca...

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: Isto é...

O SINDICALISTA: Quando as coisas estão...

O PRIMEIRO-MINISRTO: Em crise!

O PRESIDENTE DA NACIONAL COMUNICAÇÕES: Económica!

O PRESIDENTE DO CLUBE DE FUTEBOL: Desportiva!

O SINDICALISTA: Social!

O BASTONÁRIO DA ORDEM DAS ORDENS: Cívica!

O PRIMEIRO-MINISTRO: Política!

O PRESIDENTE DO CLUBE DE FUTEBOL: Maus resultados...

O PRESIDENTE DA NACIONAL COMUNICAÇÕES: Más receitas...

O BASTONÁRIO DA ORDEM DAS ORDENS: Maus fígados...

O PRIMEIRO-MINISRTO: Má imagem...

O SINDICALISTA: Bons sócios...

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: Talvez seja melhor...

O PRESIDENTE DA NACIONAL COMUNICAÇÕES: Reduzir despesas...

O PRESIDENTE DO CLUBE DE FUTEBOL: Cortar no pessoal...

O PRIMEIRO-MINISRTO: Despedimentos em massa!

O SINDICALISTA: Ideal para os Sindicatos!

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: Adequado...

O PRIMEIRO-MINISRTO: Para a ordem pública...

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: ...Que se controla melhor...

O PRESIDENTE DO CLUBE DE FUTEBOL: E para pagar estes cruciais jantares tertúlea...

O PRESIDENTE DA NACIONAL COMUNICAÇÕES: Onde debatemos os caminhos para uma melhor gestão...

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: O que aprendemos hoje é que o melhor...

O PRIMEIRO-MINISRTO: É sempre!...

O SINDICALISTA: Reduzir o pessoal!...

O PRESIDENTE DA NACIONAL COMUNICAÇÕES: Pagar menos a menos gente (por mais horas) e garantir o jaguar... Abençoada crise!

O PRESIDENTE DO CLUBE DE FUTEBOL: Despedir o treinador e garantir o Porsch... Abençoada crise!

O BASTONÁRO DA ORDEM DAS ORDENS: Despedir os estagiários e garantir o Mercedes... Abençoada crise!

O PRIMEIRO-MINISRTO: Aumentar os impostos e mandar polir o Bentley... Abençoada crise!...

O SINDICALISTA: Abraçar os despedidos e garantir o Audi... Abençoada crise!

 

OS GESTORES: Abençoada!

O PRIMEIRO-MINISRTO: Ah!, meus amigos... Uma última dúvida socrática... Vocês acham que se eu despedir cidadãos (para a Somália, por exemplo, ou para a Madeira, que é pior...) ainda garanto a maioria absoluta?!

 O BASTONÁRIO DA ORDEM DAS ORDENS: Meu primeiro, o que importa não é a quantidade, mas a qualidade dos seus cidadãos...

O PRIMEIRO-MINISTRO: Abençoada crise!

.............

 

(Na imagem de Botero, os cinco gestores dão-nos música. A menina que canta (como um rouxinol!) é a crise. O Primeiro-Ministro, com o seu violino, é reconhecível no canto inferior esquerdo - Tocas bem, mas não me alegras...)

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 10:48
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Quinta-feira, 21 de Maio de 2009

Ah, Cést L'Amour! (Pleno de Modernidade)

O casal Céfini (parisiense de gema), andava já há uns tempos com problemas de comunicação. Porque a oralidade não funcionava em qualquer dos sentidos próprios à vida conjugal, Monsieur Céfini optou, medida pouco ortodoxa, por lhe escrever uma carta (breve):

 

«O nosso amor está com sono. Talvez pudessemos abrir-lhe as persianas. Há tanto tempo que dorme que não me parece saudável. Talvez devamos preparar-lhe uma festa, algum tipo de evento... Sugiro que passeemos pelos Champs Elysées e que subamos depois à Torre Eiffel... Talvez se lhe dermos asas...»

 

E a resposta de Madame Céfini não tardou, pelo mesmo canal:

 

«Estou de acordo. O diagnóstico é correcto e o plano é bom. Gostei particularmente da subida à Torre. Proponho que um de nós - tu que és mais forte - se chegue mais à beirinha para lhe dar um balanço. Quem sabe, com uma lufada...»

 

Monsieur Céfini arrumou os papéis de carta na gaveta da secretária e foi deitar-se. Para não se esquecer, tomou nota na sua agenda de bolso:

 

«Conversar sim, mas através de advogado»...

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 09:26
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

A Quase Parábola de D. Teodoro

D. Teodoro apregoava o amor. Quando o amor lhe deu um pontapé, lavrou um auto exigindo que o termo (agora herético) fosse retirado dos livros sacros e até da Constituição.

 

- Era um jovem!, - justifica-se D. Teodoro - Hoje não cometeria essa loucura!

 

D. Teodoro entendeu com a experiência que, o que faz um bom padre, não é o apanágio do afecto Universal, mas a angariação de boas receitas.

O que hoje faz nas suas homilias, é elogiar os vendilhões do Templo. A frase?:

 

- Cristo foi corajoso, mas injusto...

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 20:48
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Terça-feira, 19 de Maio de 2009

Publicidade Guminstitucional

O Gume agora também está no Persona.

Vejam www.persona08.blogspot.com.

E também pilha livros aqui: www.pilha-livros.blogspot.com.

Como prometeu, o Gume quer conquistar a blogoesfera: poeticamente.

Não fazemos prisioneiros, mas aliados.

Não fazemos inimigos, mas cadáveres.

Caramba, que eu hoje estou bélico!

E, ja agora, espreitem aqui esta balada...

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 13:06
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Segunda-feira, 18 de Maio de 2009

Breve Post Contra O Medo

Hoje é o Dia Mundial Contra a Homofobia. Ser igual não é igual a ser o mesmo, é respeitar a diferença. Sem respeito não se forma uma pessoa.

Que Farei Com Estes Gumes?: ,
Golpe por Miguel João Ferreira às 17:16
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo

Breve História de Dois Práticos Suicidas

- Eu vou andando para baixo, se quiseres fica - E atirou-se da torre.

Ele ficou perplexo a vê-la descer como uma nave a que tivesse rebentado o motor. Depois olhou em redor e viu a desolação da torre,  sem nada que lhe interessasse. Pensou: «Porque não?»; pediu-lhe que esperasse; e deixou-se cair...

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 08:47
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Domingo, 17 de Maio de 2009

Tirésias

 

 

 

 

Tirésias não vê, prevê;  e em tudo o mais é cego.

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 23:42
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Sábado, 16 de Maio de 2009

Breve História de Um Sábio de Berlim

Herr Alleswisser fez um castelo de livros e, sem mais delongas, instalou-se nele; ponta a ponta, foi lendo a sua casa e, lendo, sentia-se feliz.
Um dia, de tanto ler paredes e pilares, o castelo ruiu; e Herr Alleswisser achou-se soterrado sob a sua cultura e viu-se nu, com fome, com sede, exposto à bruta crueza do Mundo.
Hoje, Herr Alleswisser é um sem abrigo e vive debaixo da ponte Erscheinigungsbrücker, onde passam os carros que seguem para Berlim Oriental.
Só quando confrontado com a vertente prática das ruas que apenas conhecia como ideia nesses livros que lia é que Herr Alleswisser compreendeu que a Literatura, só por si, não constitui a Cultura. Que ser culto, implica viver na mesma proporção em que se teoriza, sob pena de o sabor de uma carne ou de um peixe não ser a carne ou a peixe mas apenas uma sensação de saliva que surge à boca ao pensar-se uma iguaria abstracta que não é mais do que metáfora.
Ao descobrir isso, Herr Alleswisser obteve o impensável: perdeu tragicamente o seu castelo, para encontrar na condição de sem-abrigo aquela completude que buscava.

Dulcineia, meus Quijotes, está ao virar da esquina, não ao virar da página!

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 21:37
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Sexta-feira, 15 de Maio de 2009

Faz Hoje Um Dia Que Há Dias...

 

O Gume foi além do post mil!

Dizem que agora é um homem...

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 21:37
Hipertensões | Estocadas | Abrir As Feridas (4) | Os Golpes Que Eu Amo
Quinta-feira, 14 de Maio de 2009

Breve Historia do Lobo (Mau?) e do Porco Sobrevivente

Constriu a casa com cuidado, pedra a pedra, não fosse o lobo conseguir soprá-la. O trabalho era duro, mas estava feliz com isso, por representar o esforço como constituinte de um bem: ter o que se faz em vez do que lhe é dado. No Inverno o lobo chegou e prometeu comê-lo. Soprou e a porta tremeu, mas não caiu. Tentou a chaminé, mas os vapores do caldeirão em baixo, sobre o fogo, queimaram-no. Tentou as janelas e amaldiçoou o progresso que trouxe os vidros duplos e o porco, mais sábio, que, sendo porco, não era burro nem sovina. Recriminou-se por estar mais frágil, por ter perdido, por não superar, pela força, a inteligência; e a inteligência de um porco era para si uma grande humilhação. Voltou para a floresta para meditar sobre si mesmo, debaixo dos ramos de um choupo. Estudou com afinco a lógica do mundo e entendeu as ramificações do choupo a que tão placidamente se encostava e também aquelas da economia geral. Viu nos livros de Marx e Engels e de Adam Smith e de outras entidades de eleição na área, os males e bens do capitalismo, que se resumiam apenas a vantagens. Preparado, confiante, regressou a casa do porco.  Falou sobre fraternidade e igualdade, lançou ideiais comunistas de partilha e de bem, falou do valor inerente ao termo "negociar", propôs uma rendição incondicional. O porco abriu-lhe a porta, convidou-o a entrar. O lobo abriu-lhe a boca e convidou-o ao termo. A natureza, àparte as deturpações artificiais da organização dos seres, cumpre-se, afinal, inalteravelmente...

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 11:26
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Quarta-feira, 13 de Maio de 2009

13 de Maio, Memorandum Para o Contabilista

Fátima? Sim, conheço. Não sei se era virgem, não me pareceu santa. Milagre? Lavou-me o chão. Mas paguei-lhe. Muito.

 

(Hoje em dia, ninguém faz nada de borla...)

 

 

.............

 

P.S: A primeira imagem é um erro. Já comuniquei o virus à Sapo. Protestos, para aqui: naoqueromesmosabernadadisso@email.com

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 17:48
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Terça-feira, 12 de Maio de 2009

O Gume Propõe: Remédio (De Caravaggio) Para o Arrogante (No Comment)

Sinto-me, Sento-me, Ressinto-me...: Dizem uns, hoje automediquei-m
Sem Som: (Música) Para os meus ouvidos...
Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 17:40
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Segunda-feira, 11 de Maio de 2009

O Espectro de D. Ramires e Uma Frase de Abranhos (Segundo Eça de Queiroz)

Primeiro gritou muito, um pouco histericamente, e saltou para cima do sofá. Depois atirou-lhe um sapato. O monstro ameaçava toda a sua existência. Infiltrava-se em todos os seus poros, em todos os seus refúgios, em todas as suas realidades; e nada o afugentava. Era um mosquito; e chamava-se Medo; e era voraz.

Depois vieram outros como ele com outras graves doenças. Ramires está acamado e as paredes ruiram. A sua casa nunca mais será a mesma, e há muito que deixou de ser ilustre.

 

......

 

O meu país fundamenta-se na mediocridade. Porque é ai que quem o faz se  fundamenta.

Sinto-me, Sento-me, Ressinto-me...: Na Ilustre Casa de Ramires
Sem Som: Lamentationem (Hayden)
Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 21:48
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Domingo, 10 de Maio de 2009

Domingo:

 

  

Criei o tédio e depois descansei...

Que Farei Com Estes Gumes?: ,
Golpe por Miguel João Ferreira às 16:49
Hipertensões | Estocadas | Abrir As Feridas (2) | Os Golpes Que Eu Amo
Sábado, 9 de Maio de 2009

O Escritor Antes da Escrita:

.

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.............

 

NB: Não é o escritor, mas a folha que está em branco.

Sinto-me, Sento-me, Ressinto-me...: plananando
Sem Som: Não é o vazio, é uma núvem...
Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 16:43
Hipertensões | Estocadas | Abrir As Feridas (5) | Os Golpes Que Eu Amo
Sexta-feira, 8 de Maio de 2009

O Muro de Christo e Jeanne-Claude (Primeiro Esboço)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 16:37
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Quinta-feira, 7 de Maio de 2009

Empiríssima Declaração Dogmática de Um Inimigo Fidagal do Dogma

Toda a experiência é influência. A vida é o seu próprio aforismo.

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 15:22
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Quarta-feira, 6 de Maio de 2009

Terminator: To Which Side Will You Slide To?

 

Nessa pessoa acabou a bateria. A sua humanidade esfumou-se na noite. Hoje é uma máquina.

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 15:01
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Terça-feira, 5 de Maio de 2009

Breve Históra de Uma Incrível Bancarrota nos Matos do Grande Congo (Fábula)

- Todos os animais deverão imediatamente juntar-se no coração da Floresta! A reunião... -

 

era urgente, explicava o rato, mensageiro daquelas partes: o leão ia falar sobre um assunto gravíssimo!

O espanto era geral. Que tema poderia dar azo a tanta azáfama? Estaria a Floresta à beira da catástrofe? Caíra um meteorito? Detectaram-se movimentos na placa tectónica? O rio transbordou? O rato do campo não avançou notícias e o da cidade que depois se lhe juntou era demaisado sisudo e oficial para adiantar o que quer que fosse; mas trazia debaixo do braço um grande livro de decretos.

O pinguim e a tartaruga dos Galápagos foram os últimos a chegar.

 

- O que é isto, - perguntou a lontra, curiosa e desconfiada - uma Assembelia Mundial? Se o não for, nao os quero cá; se o for, quero saber porquê... Isto é altamente irregular!

 

Mas um rugido estrondoso deu-lhe outro ponto de vista.Verificando por fim o plenário e o silêncio, constatando que havia quorum que acatesse o seu dictum, o leão princípiou a exposição dos factos:

 

- Meus amigos, antes de mais, muito obrigado por estarem aqui, que sei que muito vos transtorna. O motivo por que vos trago cá, é este: estamos em crise.

 - Ooooooooooooooooooooooooohhhh!! - fizeram todos.

- Virgem Formiga! - gritou a Formiga Ruiva, - Queimaram-se as minhas provisões!

- Em crise! - guinchou a cegonha.

- Está a acabar-se a areia? - perguntou o camelo.

- Não há bananas? - perguntou o macaco.

- Perdeu-se o milho? - perguntaram os corvos.

- Já não há gomas?! - sondou uma texuga angustiada.

- Gomas?! - inquiriu uma estranheza colectiva.

- Ahhhh... Uhhhh... Hum... Pois... quero dizer... gomos!, gomos! Quis dizer gomos!... Que é o que eu chamo aos pinhões....

- Mas os texugos não comem pinhões! - Desconfiou mais a lontra, que desconfiava de tudo.

- Eu como! - reorquiu a texuga, querendo acabar com a conversa - e tenho o direito de comer o que eu quiser! Ora já viram esta! Humpf!

- Silêncio! - gritavam o ratos, tentanto instaurar a ordem - Silêncio! O Rei Leão vai falar!

 

A contragosto, a Assembleia calou-se.

 

- Como vos dizia, meus amigos - prosseguiu o leão com ar pesado, - estamos em crise... As circunstâncias, as componentes, a conjectura, e infrastructura, a compustura agora descomposta, as dívidas de boa vontade, os juros de perdão de quando não vos comi e podia, enfim... A verdade é que tenho andado com fome...

 - Ooooooooooooooooooohhhhhhhhhhhhhhhhhh!! - fizeram todos.

- Sim, - continuou o leão - tenho andado mesmo esfomeado. E porque as vossas simpáticas oferendas, sendo boas, não são suficientes, vejo-me forçado, perante os roncos miseráveis do meu estômago, a deglutir-vos, meus amigos, pouco a pouco...

- Ooooooooooooooooooohhhhhhhhhhhhhhhhhh!! - fizeram todos.

- A começar, - prosseguiu - já hoje pelo meu almoço...

- Então e como planeias fazer isso?, - perguntou o urso, já a afiar as garras, esperando vender cara a pele.

- Ah, não te inquites, meu irmão, que o farei de uma forma muito democrática. Começamos por ir a votos, e depois, se for preciso, sorteamos...

- Então e como vamos votar? - perguntou o alce.

- Levantamos a pata - respondeu o leão.

- Levantamos a pata a quê? Quem diz o nome de um animal? -, quis saber o búfalo.

- E quem não tem pata?, - perguntou o robalo.

- Aí eu lavo as patas, como Pilatos. Não quero incriminar nenhum dos meus camaradas, nem aceito que depois me incriminem, sob pena de lhes mover um processo... capital...

- Mas alguém tem de apontar alguém, se não ninguém se acusa! Como é que fazemos isto?!

- Só sei que nada sei! - retorquiu o leão.

- Meu Deus, estamos perdidos! - exclamou o cavalo, com ar preocupado.

- Que foi?, que foi? - O coelho, a zebra, o cão, o pintassilgo, vários bichos, já, se lhe juntavam, procurando entender tão grave revelação.

- Este tipo julga que é o Sócrates!

 

............

 

Os felinos, os répteis, os insectos e os porcos, vendo o rumo das coisas, tomaram logo o partido do leão e puseram-se a seu lado. Disseram uns quantos nomes, que mais ou menos sortearam e tiveram um banquete farto. A Floresta vai encolhendo e empobrecendo, mas há uns bichos que engordam. A crise de uns é  sempre a festa de outros, isto está claro. Não há crise em mundo algum que não seja intencionalmente provocada. Repito: intencionalmente provocada.

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 13:52
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Segunda-feira, 4 de Maio de 2009

Não Te Ofusques, Se Há Sol...

O Verão perene é a ingenuidade dos simples. Se te deslumbras de mais com um campo de trigo, ao final do dia só comerás palha.

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 13:33
Hipertensões | Estocadas | Abrir As Feridas (5) | Os Golpes Que Eu Amo
Domingo, 3 de Maio de 2009

Spring, Winter, Spring and Requiescate...

Porque é Maio a flor desabrocha e começa a dançar. Está feliz e faz a sua música. Sabe que em breve a abelha vem aí. Já viu uma há uns tempos, que vem mantendo fisgada... A flor está feliz porque antecipa o jogo

 

... ...........

 

Toda a Felicidade está na antecipação.

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 13:22
Hipertensões | Estocadas | Os Golpes Que Eu Amo
Sábado, 2 de Maio de 2009

O Vazio de Pyotr Stepanovich Verkhovensky

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 17:46
Hipertensões | Estocadas | Abrir As Feridas (2) | Os Golpes Que Eu Amo
Sexta-feira, 1 de Maio de 2009

Fragmentos das Crónicas de Um Sinal de Socorro

Dizem-me da régie que hoje deveria ter falado do dia do trabalhador. Há manifestações violentas na Alemanha e em Moscovo. O TDT começou em Portugal; foi há dois dias. Há uma espécie de aranha em Israel, cujo macho introduz o sémen numa fêmea ao perfurar-lhe o abdómen; consigo agora entender que uma viúva negra elimine o macho depois da cópula - mesmo que esse macho não faça nada do género. O mundo é redondo mas é quadrado o cérebro de quem o pensa. A vida é preciosa, mas o Homem não presta. O dia tem 24 horas, mas em 12 é de noite. Amanhã estou de férias. São nove e quinze. Trabalho. O 1º de Maio não me diz mesmo nada; mas sentiria a sua falta se ele não existisse...

Que Farei Com Estes Gumes?:
Golpe por Miguel João Ferreira às 21:15
Hipertensões | Estocadas | Abrir As Feridas (2) | Os Golpes Que Eu Amo

O Leão Sem Juba

Sopa de Facas, Chafurdar na Lama

 

Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

Gumoctopus

Últimos Golpes

É Oficial

O Gume Descansa

Fair-Pay (O L Perdeu-se N...

D' ETA Vez É A Sério!

E Depois Dos Votos, Obama...

Dióxido de Carbono Em Min...

Liberdade Individual A Vo...

BPN (The Bank Robbers)

White Out (Para o Fim do ...

Melancolia De Um Dia de I...

Das Lágrimas

The Book and The Cover

2010 - O Gume Está Lavado...

Adeus Ano Velho!

História de Família (De 1...

A Vantagem da Ingenuidade

Liliana (Um Livro Aberto)

Estranha Rábula

Do Medo (Livre/o Abordage...

Justiça Terrestre (À Falt...

Sras. E Srs., Parece Cert...

O Anticristo (Quase Liter...

Sonha E Serás Mestre!

Rouba em Paz E Que A Benç...

Lisboa Está de Luto (Temp...

Segundo Gume Apresenta......

O Que As Malvadas Nos Faz...

Mundo Binário

Senhoras e Senhores, Em E...

Borracha Sobre As Más Exp...

Um Manifesto Muito Sério ...

Denúncia De Uma Esteticis...

Mãe, Pisei Uma Pastilha E...

O Gume Reflecte - Fisio-P...

Algodão Doce (Memórias da...

Dia das Gomas (Recentemen...

Post Sentido (Come e Cala...

VENDE-SE: ÁGUAS FURTADAS ...

O SubConsciente Explicado...

Partilhou-se Na Net Esta ...

O Gume Lança O Mote Para ...

Twittership (Seja Lá Isso...

Andorra, Dezembro de 2009...

Um Mau Post Sobre um Mau ...

Sobre O Meu Melhor Romanc...

Prevenção Gripe A: Protej...

O Gume (Re)viu... Memento...

Brevíssimas Sobriedades (...

A Bíblia de Jerusalém Rec...

Pergunta do Dia Que Se Ag...

O Gume E O Tempo

Agosto 2012

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Novembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Que Farei Com Estes Gumes?

todas as tags

blogs SAPO

Roubar as Facas